Fitoterapia

 

A fitoterapia é um método de cura milenar, consiste em tratar-se através do reino vegetal… Dessa forma, tudo quanto usamos do reino vegetal com o propósito terapêutico de cura, prevenção ou melhoria da saúde é fitoterapia!

 

Com o avanço da evolução da espécie humana, fomos perdendo esse contato direto com a natureza e muitos desses saberes ancestrais foram se perdendo a ponto de hoje vivermos em uma sociedade que entrega a responsabilidade da cura para alopatia (a forma convencional de remédios que encontramos nas farmácias).

 

Quando falamos em fitoterapia, estamos nos referindo a qualquer método de tratamento com ingredientes do reino vegetal, seja a partir de tinturas, cataplasmas, chás, emplastos, banhos, temperos ou alimentação.

 

Para que serve a fitoterapia?

 

A fitoterapia auxilia na cura, prevenção de doenças e manutenção da saúde.

 

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) temos uma definição bem peculiar sobre o que é ter saúde, pois para a OMS saúde não consiste apenas na ausência de doenças, logo podemos abrir nosso leque de questões ao pensarmos em saúde considerando um monte de fatores que não estão necessariamente ligados a doenças, por exemplo: Uma pessoa apesar de não apresentar nenhum sinal clínico de doença vive com altos níveis de ansiedade e tem um sono inquieto e agitado  levando-a ter uma memória não muito boa… Essa pessoa é realmente saudável?

 

As plantas possuem diversas propriedades, destaco aqui duas das principais atuações:

 

A fitoterapia atua sobre o corpo físico, normalizando seu funcionamento, otimizando suas funções, auxiliando na cura de sintomas e doenças com manifestações físicas.

 

A fitoterapia atua sobre o emocional, normalmente ajustando o humor, removendo os excessos tanto de ansiedade quanto de apatia, melhorando os níveis de marcadores de humor como serotonina – o ‘hormônio da felicidade’.

 

Cada planta, ou cada parte da planta possui benefícios, indicações e contraindicações para diversas condições físicas ou emocionais, por isso é de bom gosto pesquisar sobre cada planta antes de utilizá-la de forma terapêutica.

 

Muitas pessoas por pensarem que a fitoterapia é algo natural e por isso mais suave acabam cometendo excessos que podem ser prejudiciais, visto que existem plantas que são contraindicadas para determinadas pessoas, por exemplo: Uma planta que estimula o funcionamento do fluxo menstrual pode ser ótima para quem sofre de TPM e cólicas menstruais, porém pode ser muito perigosa para uma mulher gestante.

 

Não pense que por se tratar de algo natural estamos falando de algo menos potente ou fraco.

 

Sempre pesquise antes de utilizar métodos fitoterápicos.

 

Métodos de manipulação da fitoterapia.

 

Existem diversas formas de utilizarmos as plantas de maneira terapêutica, várias formas são amplamente conhecidas e utilizadas comumente pelas pessoas, mesmo quando elas nem sabem que estão fazendo um tratamento fitoterapêutico, quer um exemplo? Quando você está com dor de barriga e resolve fazer um chá está usando um método fitoterápico!

 

Quando você resolve sentir o cheiro de uma erva aromática como a hortelã ou o alecrim também está utilizando plantas que possuem propriedades de melhorar o sistema respiratório!

 

As formas mais utilizadas de fitoterapia caseira são: Chás, Temperos, Sucos, Saladas e Xaropes… Mas existem muitas outras formas de utilização de fitoterápicos e aqui vai uma lista resumindo alguns dos métodos.

 

CHÁ – A forma mais comum de consumir as ervas é em forma de chá, para utilizar folhas e flores basta ferver água, desligar o fogo e adicionar ervas ou flores já lavadas e abafá-las tampando a panela por 15 minutos. Essa técnica chama-se INFUSÃO, como na infusão utilizamos partes verdes e delicadas das plantas não devemos ferver essas partes junto com a água para não perdermos as propriedades medicinais. Quando o chá é feito com sementes, caule ou raízes podemos ferver por 15 minutos esses componentes da planta pois são mais resistentes para soltar suas propriedades, este outro método chama-se DECOCTO. Geralmente a regra para os chás é utilizar 200g da planta para cada litro de água potável, mas é possível alterar essas medidas deixando o chá mais ou menos concentrado. Lembre-se de uma regra de ouro: Se o chá está sendo utilizado para problemas gastro-intestinais tome-o sem adoçar, mas se o propósito for outro você pode até adoçá-lo, mas prefira formas menos refinadas de adoçantes como demerara, açúcar mascavo ou melado que também enriquecerão o chá com outros nutrientes. O ideal é que o chá seja completamente consumido em 24h, como a recomendação terapêutica para adultos é de 3 xícaras ao longo do dia não faça uma quantidade muito grande de chá.

 

COMPRESSA – Método muito bom para crescimento capilar, alívio de dores de cabeça e cólica! Faça o chá (escolhendo o método mais apropriado) depois umedeça um pano com o chá e coloque sobre o local a ser tratado.

 

BANHO – Muitas ervas possuem benefícios e propriedades curativas para hemorroidas, problemas vaginais e para a pele como um todo, então banhos de acento ou banhos convencionais são utilizados durante milênios como fitoterapia para cura e beleza, para realizar o banho e banho de acento basta fazer o chá e banhar-se lentamente despejando o chá sobre o corpo ou para o banho de acento colocando o chá em uma banheira ou bacia e sentando por alguns minutos.

 

BOCHECHO – Seja para melhorar o hálito ou para tratar problemas nos dentes, gengivas ou superfície interna da boca esse método é excelente, pode-se bochechar o chá ou água com a tintura.

 

GARGAREJO - Técnica muito boa para aliviar dores de garganta e amigdalites! Você pode utilizar o chá ou a tintura misturada com água.

 

TINTURA – É o que popularmente as pessoas chamam de fitoterapia ou fitoterápico, trata-se de um processo em que se mistura partes de determinada planta com álcool de cereal numa proporção de 1/3 de ervas para 2/3 de álcool de cereal (segundo a minha linha de formação em fitoterapia), posteriormente essa tintura será agitada por alguns dias e descansar por outros tantos dias (eu agito a mistura por 10 dias e deixo descansar ao abrigo de luz por mais 15 dias), no término do descanso a tintura é coada e armazenada em vidros ao abrigo de luz com etiquetas de identificação. Lembrando sempre de utilizar potes esterilizados para o preparo da tintura. Depois de pronta a tintura pode-se formar compostos misturando duas ou três tinturas de ervas diferentes e então tomar 40 gotas 2 vezes ao dia misturada com um copo de água (recomendação para adultos). A tintura tem validade de 2 anos e sempre é ingerida aos poucos com água ou outro alimento, porém nunca diretamente na boca.

 

CREMES – Utiliza-se um creme neutro com algumas gotas de tintura. É muito indicado para ser feito com ervas aromáticas (utilizando-o como creme a ser passado na região do tórax, ou com ervas que possuam propriedades anti-inflamatórias como a arnica, relaxantes e analgésicas).

 

SUCO – O suco para ser fitoterápico deve ser feito apenas no momento que que será consumido, basta espremer, triturar ou bater a planta ou fruta, verdura ou legume com um pouco de água potável.

 

SALADA – Assim como o suco deve ser feita pouco antes de ser consumida para que as propriedades terapêuticas das plantas não se percam, uma ótima forma de preparar saladas é utilizando PANC’S – Plantas Alimentícias Não Convencionais, pois essas plantas geralmente possuem grande valor nutricional e muitas propriedades terapêuticas.

 

EMPLASTO – O emplasto serve para uso externo, é indicado para alívio de dores, após lavar as a planta soca-se com um pilão a planta fresca com um pouco de água se necessário até formar uma pasta, depois basta colocar essa pasta sobre o local a ser tratado e enfaixá-lo para que permaneça sobre o local por pelo menos uma hora. É importante ressaltar que algumas pessoas com maior sensibilidade podem ter alergia a determinadas plantas então esse método deve ser utilizado com cautela.

 

CATAPLASMA – A única diferença do cataplasma para o emplasto é que neste método adicionamos um ingrediente para dar maior consistência ao conteúdo a ser aplicado, podendo usar farinha de trigo, outra farinha de sua preferência ou até mesmo argila. Possui um efeito potente, porém o mesmo cuidado citado anteriormente deve ser tomado: Cuidado com peles sensíveis e possíveis alergias.

 

UNGUENTO – Trata-se de um método para uso EXTERNO (não ingerir) excelente para massagear o corpo (incluindo couro cabeludo), para o preparo leva-se ao fogo brando um óleo vegetal de sua preferência como o Azeite, óleo de coco ou de linhaça e após esquentar o óleo adiciona-se um pouco da tintura misturando bem para homogenizar. A recomendação de proporção é adicionar para cada medida de óleo 10% de tintura, isto é, se você deseja fazer um unguento utilizando 50ml de azeite adicione 5ml de tintura.

 

FARINHA OU PÓ – A farinha ou pó nada mais é do que a trituração da erva/planta seca que pode ser utilizada para enriquecer comidas, vitaminas e sucos. Essa farinha/pó deve ser armazenada em um recipiente seco, limpo e longe de umidade.

 

Algumas ervas e suas propriedades na fitoterapia.

 

ATENÇÃO: GESTANTES devem sempre pedir orientação ao profissional de saúde que está acompanhando-a.