Alma Gêmea: Mito ou Verdade?

Alma Gêmea: Mito ou Verdade?


O tema Alma Gêmea, apesar de ter sido abordado com frequência pela mídia nos últimos tempos (já foi tema de novela na televisão, jornais, revistas, livros, etc.), ainda assim, para muitos - principalmente para os mais céticos e racionais - pode parecer inverossímil, ou até mesmo muito romântico, próprio dos contos de fadas.


A dificuldade também de muitos não aceitarem a premissa da Alma Gêmea ocorre pelo fato do termo ser mal-empregado e, portanto, mal compreendido, pois à primeira vista se nos atermos literalmente à letra, Alma Gêmea dá a entender que se trata de um espírito duplicado, como um clone, portanto, com as mesmas vontades e a mesma evolução espiritual.


Ora, sabemos bem que não se faz a duplicação do ser humano, que é uma centelha divina, luz emanada do Criador. Sendo assim, cada espírito guarda sua individualidade inviolável. Por isso, não existem duas impressões digitais iguais, idênticas, na natureza. Cada ser humano é, portanto, uma pedra preciosa, um fenômeno singular, uma aventura única, um milagre suficiente para não ter de comparar com ninguém, a não ser consigo mesmo.


Desta forma, a expressão Alma Gêmea é, na verdade, uma metáfora (prefiro a expressão alma companheira para não dar margem a uma interpretação equivocada), pois caracteriza uma afinidade específica entre dois seres. Ou seja, um complementa o outro, guardando, entretanto, sua individualidade e vivendo mesmo uma evolução diferente.


No meu caso, por exemplo, a minha alma gêmea não está encarnada; ela está, portanto, desencarnada, e, num nível de evolução espiritual superior ao meu. Por isso, ela é também a minha mentora espiritual, ser desencarnado, diretamente responsável pela nossa evolução espiritual.


Sendo assim, a alma gêmea não é um espírito idêntico, mas, afim, ligado a outro por forte afinidade e simpatia; porém, com diferença de evolução e de costumes em suas caminhadas ascensionais. No entanto, os laços que unem essas duas almas são tão fortes e profundos que acabam superando todas as diferenças. Você e sua alma gêmea frequentemente vieram juntas em várias encarnações, não só como cônjuges, mas também em outros papéis sociais (pai e filho, irmãos, amigos, etc.); por isso, esse laço forte e profundo que os une.


Aqui explica o porquê de muitos casais ao se conhecerem na vida presente, sentirem uma forte atração e afinidade um pelo outro. Em muitos casos, a afinidade do casal é tão grande que basta um olhar para que o outro saiba o que quer. Não precisam de muitas palavras para se entender.

Explica também o porquê de uma mulher se envolver intensamente com um homem bem mais velho ou mais novo do que ela, em condições socioeconômicas e culturais opostos, ou mesmo de raça, nacionalidade e idioma diferentes.


A afinidade e entrosamento do casal são inexplicáveis aos olhos de uma mente racional cartesiana, lógica, pois somente os que conhecem a linguagem da alma são capazes de entender a profundidade do tema.


Quero esclarecer ao leitor que o reconhecimento de sua Alma Gêmea pode acontecer de várias formas. No entanto, na minha prática clínica, ao conduzir mais de 50.000 sessões de regressão de memória em meu consultório, ao passarem pela TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) -A Terapia do Mentor Espiritual- Abordagem psicológica e espiritual breve, criada por mim, é comum os pacientes recordarem emocionados as várias existências passadas em que estiveram juntos com sua Alma Gêmea.


É comum também, nesta terapia - através do mentor espiritual do paciente - ser revelado onde se encontra a sua Alma Gêmea, que pode estar encarnada ou desencarnada no Astral (é importante ressaltar aqui, que nesta terapia, o mentor espiritual do paciente só revela algo de seu passado ou futuro, se isso for realmente ajudá-lo).


O insucesso amoroso de muitos homens e mulheres pode ser explicado também pelo fato de ainda não terem encontrado sua alma gêmea. É o que constato nos relatos de meus pacientes. Caso Clínico: Não consigo constituir uma família.

Homem de 35 anos, solteiro. O paciente veio ao meu consultório e, na entrevista de avaliação, assim se descreveu: "Sou um homem muito bem-sucedido. Sei o que quero e quando quero. Sempre tive uma vida boa tanto financeira como familiar, pois venho de uma família bem estruturada, meus pais me passaram valores morais e educacionais sólidos.


Não posso reclamar da vida. Viajei, tive oportunidade de conhecer muitos lugares, culturas e pessoas interessantes. No entanto, apesar de querer constituir uma família, não consigo me relacionar com as mulheres de uma forma verdadeira, sincera.


Tive alguns relacionamentos até longos, mas não consigo me aprofundar, me entregar verdadeiramente. Desde criança, sinto uma saudade, uma aflição, agonia, um vazio, sem um motivo aparente, e sempre acabo rompendo os meus relacionamentos. Não sei explicar de onde vêm esses sentimentos.


É paradoxal a minha atitude com o sexo oposto, pois quero realmente ter uma família, filhos.


Tenho um sonho recorrente que me persegue também desde criança (sonhos repetitivos costumam ser reminiscências de vidas passadas). Em sonho estou sempre passeando, montado num cavalo preto. Há um rio, uma moça aparece, ela veste um vestido branco com laços amarelos. Ela é morena, cabelos longos, escuros. A moça me olha e sorri". Na sessão de regressão, o paciente me relatou: "Vejo uma casa grande, parece ser uma fazenda de café. Tem muita gente trabalhando na colheita, na secagem, bem como no armazenamento do café. Sou criança nessa vida passada, devo ter uns três anos.


Estou no colo de uma mulher, mas ela não é a minha mãe. Na realidade, ela é uma ama de leite.


Moro nessa fazenda até os meus 12 anos. Não tenho muito contato com os empregados. Sou filho único. Após esse período, fui à cidade estudar. Escrevia sempre para os meus pais, e acabei me formando. Nunca tive problemas, tudo vinha fácil para mim nessa vida passada. Namorei muitas mulheres, mas nunca quis assumir compromisso; por isso, quando a coisa ficava séria, terminava.


Começaram então as cobranças: meus pais queriam que eu casasse com uma moça rica da cidade. Conheci então a Carolina, uma moça rica e de boa família. Logo as famílias se interessaram em querer marcar o casamento. Eu não queria, mas, também não queria magoar os meus pais, que tudo me deram. Recebo uma carta, era de minha mãe pedindo para que fosse à fazenda com urgência, pois meu pai estava doente. Volto à fazenda depois de morar 15 anos na cidade.


Nada havia mudado, parecia que o tempo tinha parado. Vejo a minha mãe, entro no casarão.


No quarto, vejo o meu pai deitado. Pede para que sente próximo dele e me diz: “Filho, nunca te pedi nada nesta vida, mas hoje quero lhe fazer um pedido e não aceito um não como resposta. Case com a Carolina e encha esta casa de filhos, aconteça o que acontecer”. Eu respondi: “Está bem pai, vou me casar com ela, não se preocupe”. Ele fechou os olhos e se foi. (pausa). Vejo a cena de seu funeral. Após o enterro, peço para o capataz da fazenda selar o cavalo, precisava tomar ar fresco, me sentia muito angustiado. Saí galopando, já tinha até esquecido de como era bom sentir o vento no rosto, o cheiro do mato. Agora, estou próximo a um rio... É o mesmo rio dos meus sonhos da vida atual. Meu coração parece que vai explodir, fico trêmulo, agoniado.


Desço do cavalo e próximo dali, vejo uma bela moça morena, de olhos grandes e expressivos, cabelos longos, ondulados. Eu a reconheço, é a mesma moça que aparece em meus sonhos, na vida presente. Ela se aproximou, e, com suas mãos delicadas e pequenas, afagou o meu rosto e disse:” Minha vida! Encontramo-nos, você veio. Como é maravilhoso poder te reencontrar. (pausa). Na realidade, essa moça é um ser espiritual... Ela me pede para casar com a Carolina para que na próxima encarnação (atual) possamos nos reencontrar e ficarmos juntos.


Ela esclarece que esse casamento faz parte de meu programa reencarnatório dessa vida passada, que se trata de um resgate cármico. Após ter dito isso, ela foi embora. Faço então o que ela havia me pedido. Caso com a Carolina e tenho quatro filhos. Sempre olho para o céu e com muita saudade busco a presença daquela moça. (pausa).


Agora, estou me vendo despedindo de meus filhos, da Carolina, morro ainda jovem nessa vida passada, mas sinto um grande alívio e uma esperança em revê-la. Para minha alegria, ela vem me buscar, me dá as mãos e me leva. Vou embora sem medo. Estou em casa, no plano espiritual, meu coração está sereno, em paz.


Então, juntos, traçamos o nosso plano reencarnatório, e como há algumas pendências só iremos nos encontrar na vida terrena (vida atual), quando ambos completarmos 36 anos de idade. Vejo uma luz dourada aqui no consultório... É um homem, é meu mentor espiritual. Ele diz: “Sua Alma Gêmea já está chegando, vocês estão próximos de se reencontrarem”.


Falo para o meu mentor espiritual, que, neste mês, faço 36 anos; ele diz que sabe, e que quando nos reencontrarmos, a minha saudade, vazio, aflição e angústia - que me acompanham desde criança - irão acabar.


Diz ainda: “Calma, meu amigo! Você irá encontrá-la brevemente e não sentirá mais saudades". Passados alguns meses, após o término da terapia, o paciente me mandou um e-mail muito feliz que dizia. "Dr. Osvaldo, com imensa alegria quero compartilhar este momento maravilhoso. Minha amada chegou. Eu a reconheci pelo olhar, ela é linda. Um feixe de luz como um tubo nos ligou. Ela disse que quando me viu, pensou: "Ele será meu marido". Ela também sentiu que o meu olhar não lhe era estranho. Quando lhe contei do que revivi na regressão com o senhor, ela chorou muito emocionada. Estou muito feliz, realmente, como o meu mentor espiritual havia me dito e a solidão, vazio, saudade, deram lugar à alegria, paixão e quietude.


Dr. Osvaldo quero lhe agradecer de coração pela sua ajuda, e o convite de nosso casamento logo irá lhe chegar. Um forte abraço!





192 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo