Criança Abortada

Criança Abortada


O fato de a ciência ainda se estruturar em bases materialistas, não leva em consideração a existência da alma, do espírito, o que dificulta qualquer iniciativa que vise ao confronto com a outra realidade, a realidade espiritual.


Desta forma, para o materialismo científico, o critério científico é puramente organicista, vendo o ser humano com um mero agregado de carne e osso, estudando apenas os fenômenos físico-químicos relacionados com o metabolismo biológico. Para a neurociência, a alma não passa de produto do cérebro, que, por sua vez, é constituído de complexa combinação de inúmeras células e substâncias químicas, a exemplo da serotonina, dopamina, acetilcolina e outras. O pensamento materialista, não está presente só na ciência, mas também na política, no regime democrático, que não cansa de defender os direitos humanos da mulher, na legalização da prática do aborto, que está embasada também na visão materialista do ser humano, vendo-o como um mero aglomerado de matéria. A ciência investiga apenas as causas e os efeitos materiais, não considerando que possa haver uma interrelação de causa e efeito entre mundo espiritual e mundo material, ignorando, portanto, uma das leis universais, a lei de causa e efeito, a lei do carma. Na T.R.E. (Terapia Regressiva Evolutiva)- A terapia do mentor espiritual - uma nova e breve abordagem psicológica e espiritual, criada por mim, ao conduzir mais de 50.000 sessões de regressão de memória, constatei que existem três fatores, que levam uma pessoa a ter um determinado problema:


1º) Fator interno: psicológico - criado pelo paciente de experiências traumáticas desta (infância, nascimento, útero materno) ou de vidas passadas (na maioria dos casos);


2º) Fator externo: espiritual - ocasionado por uma presença espiritual obsessora (ser desencarnado, desafeto do passado do paciente);


3º) Fator Misto: psicológico e espiritual. Na minha estatística, em 95% dos pacientes, o fator espiritual (espírito obsessor) se não for a causa principal do problema, é sempre uma causa agravante e, em 5% dos casos, é puramente psicológica, não havendo, portanto, nenhuma interferência espiritual obsessora, na gênese do problema do paciente.


O alto índice (95%) de interferência espiritual obsessora, nesses casos, se explica, por conta de nossa imaturidade, ignorância das leis Divinas, Universais, enquanto espíritos em evolução (trazemos maus hábitos e imperfeições de vidas pretéritas).


Desta forma, cometemos erros e equívocos com nossos semelhantes, gerando carmas, desafetos (obsessores encarnados ou desencarnados), que são movidos pelo ódio, desejo de vingança, ainda presos ao passado.


Portanto, é de praxe perguntar ao paciente, na entrevista inicial de avaliação, se foi praticado algum aborto deliberado, por ele e/ou por seus pais.


Confirmado o aborto é comum o espírito da criança abortada se manifestar nas sessões de regressão, acusando a paciente e/ou seus pais, com muito ódio e revolta pelo mal que lhe fizeram. Em muitos casos, a família que tem um filho problemático, revoltado, que se recusa a frequentar à escola, que tem ódio de si e dos pais, tenta se suicidar, os pais o levam ao consultório psicológico e/ou psiquiátrico, mas nada conseguem, pode estar sendo obsidiado, influenciado pelo espírito da criança abortada pelos pais.


Nesse caso, esse filho problemático pode estar sendo obsidiado pelo seu irmão que não chegou a nascer e o usa para agredir, vingar-se dos pais, tumultuando o ambiente familiar. No livro "Pela Paz dos Anjinhos" de Kamino Kusumoto (Seicho-no-ie), o autor esclarece, que existem sete comportamentos típicos, que caracterizam quando uma criança está sendo obsidiada pelo seu irmão abortado. São eles:


1) Perda de ânimo, por exemplo, as vésperas de uma prova escolar, a criança se esforça, mas, um obstáculo poderoso (obsessor espiritual) o impede de perseverar no esforço;


2- Permanência em lugares escuros: de dia, a criança ou adolescente dorme com cortinas fechadas e mantém o quarto sempre em escuridão; à noite perambula pelas ruas escuras, sem destino, muitas vezes anda em grupo, com menores que têm os mesmos problemas. Reflete a alma da criança abortada, que perambula por um mundo deserto e escuro (região do umbral, reino das trevas);


3- Desejo persistente de comer doces e tomar leite, como se fosse um bebê;