Exercite o seu Poder Interior


“Todo Poder emana do conhecimento”. - Sigmund Freud. Para você mudar alguma coisa em sua vida, é necessário primeiro exercitar o seu Poder Interior.


E o que é o Poder Interior? Antes de eu explicar, é preciso entender antes o que é Poder? Poder sempre foi visto como a capacidade de controlar e manipular os outros, isto é, de influenciar a ação do outro.


Mas o Poder só se manifesta quando o influenciado aceita a ação do influenciador. Neste sentido, o influenciador só terá o Poder sob o influenciado se este aceitar. Da mesma forma, só haverá explorador se existir um explorado.


Então, só existe abuso de Poder, quando há cumplicidade entre influenciador e influenciado.


Quando alguém diz se queixando: “Você me explora, abusa de minha boa vontade”, está faltando com a verdade.


Na verdade, é ela que se deixou ser explorada, abusada. Houve um consentimento. Então, quando se fala de Poder, é preciso diferenciarmos duas formas de Poder: a) Poder institucional (externo ao indivíduo): É o poder delegado, institucional, papéis sociais que o indivíduo ocupa. Ex.: Papel de pai, mãe, professor, chefe, político, juiz, padre, etc.

Todos sabemos que as pessoas que exercem esses poderes, têm uma influência muito grande em nossa forma de pensar, sentir e agir em relação às nossas vidas.


E quando há abuso desses poderes, gera opressão, sufocamento e castração nos indivíduos. O processo de castração, muitas vezes, começa na família, por parte dos pais controladores e chantagistas em relação às crianças, com todos os tipos de “não”.


Desde criança, recebemos programações sobre sexo, religião, em relação a si, aos outros e a vida. Depois a escola passa a ser palco de controle e domesticação e mais tarde na empresa é reeditada toda a velha estória de abuso de poder.


Observe a relação de poder entre chefia e subordinado, onde muitos chefes têm sede de poder, isto é, de mandar. O prazer está em mandar e não em mostrar resultados. O prazer está, em muitos casos, até mesmo em perseguir seus subordinados, criando um clima de terrorismo no ambiente de trabalho, estabelecendo uma relação de opressor e oprimido, o que chamamos de assédio moral.


Sendo assim, muitas pessoas buscam exercer essa forma de poder em suas vidas. No entanto, esse não é o verdadeiro poder, pois é efêmero, não eterno. Como é um poder delegado, a qualquer momento pode ser retirado e transferido para outra pessoa.


Hoje você ocupa um cargo de prestígio, status, financeiramente bem remunerado; amanhã, podem tirá-lo de você. E essas pessoas que têm sede desse tipo de poder, ao perdê-lo, sentem-se perdidas e perdem até mesmo a razão de viver.


b) Poder interno: Por outro lado, existe outra forma de poder, o verdadeiro poder, que não pode ser delegado, é intransferível, eterno, e que ninguém pode tirá-lo, e que você vai levá-lo para a eternidade. É o Poder Interior. Esse poder individual é a sua força interior, os seus talentos, o seu autoconhecimento, a sua consciência, sabedoria de vida, autoconfiança, sua fé, seu autodomínio, isto é, seu controle emocional e sua capacidade de ser uma pessoa autônoma, capaz de conduzir a sua vida.


Buda dizia que “o Rei mais nobre de todos os reis é aquele que é capaz de se dominar”. Há pessoas que são muito frágeis emocionalmente; por qualquer acontecimento, deixam se abalar, ficam extremamente aborrecidos e intranquilos.


Mahatma Gandhi, Cristo, Buda, Sócrates, todos exerceram plenamente o seu Poder Interior. A grande magia dos sábios, é que eles tinham uma consciência e autoconfiança incomuns, tinham o dom de não ver através da ilusão. Por isso, foram carismáticos e ficaram na história. Exercitar o Poder interior, portanto, é vencer as suas limitações, seus medos, suas ilusões, é se superar. E para resgatar esse Poder, é preciso estimular sua consciência, isto é, expandi-la, através da prática do autoconhecimento, tirando a venda de seus olhos.


O Poder interior não leva às pessoas a alienação e a resignação. A maioria das pessoas frequentemente sente que suas vidas são destinadas e que não podem ser mudadas. Há três tipos de pessoas:


1) As que ficam apenas assistindo passivamente às coisas acontecerem em suas vidas;


2) As que ficam pensando o que aconteceu para suas vidas não darem certo?

3) As que fazem suas vidas darem certo. Uma pessoa autônoma é aquela que faz as coisas acontecerem, contrário dos autômatos (passivos) que ficam esperando que as coisas aconteçam.


Pessoa autônoma é aquela que se desrobotizou e encontrou o guru dentro de si mesmo. Por outro lado, para você ser uma pessoa autônoma, é necessário estar disposta a parar de ficar se queixando, culpando e responsabilizando as pessoas, os fatos e a vida pela sua infelicidade. Tudo isso subtrai, diminui a sua capacidade de resolver seus problemas e as dificuldades de sua vida. Agora, o problema só é grande dependendo do ângulo que se vê. Só vem quando existe um ponto fraco, mal resolvido em você. Qual é o seu ponto fraco? Você tem consciência disso?


É não confiar em si? É ter dificuldades em dizer não, isto é, vive em função de querer agradar as pessoas e prefere se desagradar? O que você precisa aprender?


Construa um mundo melhor para você, através da firmeza, alegria, sinceridade, vontade e coragem. Tenha a coragem de ser você. Isso que é o diferencial de uma pessoa para outra.


Ser comum (medíocre) é viver uma vida sem brilho, sem luz própria, sem metas, sem mudanças. É simplesmente sair de manhã, fazer as mesmas coisas, pegar o seu transporte, etc.


Encare a vida como uma viagem, em que você conhece muita gente, lugares. Não encare como tormento, dificuldades. Pense rápido e responda: Em que você mais acredita? No difícil ou no fácil? As coisas vão vir com dificuldades na sua vida, quando você acredita, pensa e só fala em dificuldades. Tem gente que já nasce todo estropiado. Tudo vem difícil na vida dessa pessoa.


Quando estava no útero da mãe teve uma gestação difícil e seu nascimento também foi complicado. Para nascer, teve que ser na base do fórceps. Não queria nascer, nasceu na marra.


Existem também aqueles que enrolam o seu pescoço no cordão umbilical para se matar. Aliás, em vidas passadas, tinham cometido suicídio e agora no útero materno.


Na verdade, essa crença no difícil, muitos trazem de várias encarnações. Por outro lado, as coisas vão vir com mais facilidade se você acredita e pensa nas facilidades. Tem gente bem resolvida que veio aqui na Terra só para passar coisas boas. As coisas vêm com facilidade para ela porque a cabeça dela acredita na facilidade. Então, o que é preciso fazer para ser um vencedor?


É mudar as ideias erradas que temos sobre nós e a vida. Você tem o mundo, o Universo a seu favor; é pensar assim: quando estamos desligados do Universo, estamos indo contra ele.


Mas quando estamos conectados com tudo em nossa volta, tudo entra em harmonia conosco.


Ocorrem muitos fenômenos de sincronicidade, tais como: rever amigos que há muito tempo você não vê; os negócios dão certo, aparecem pessoas, fatos, acontecimentos na hora e nos momentos certos. Você pode se tornar um vencedor. Para isso, determine onde quer chegar. Não importa onde você está, mas aonde quer chegar. Desenvolva um plano para atingir suas metas.


Para isso, aqui vai um lembrete: se você tem o hábito de deixar para depois o que precisa fazer, aja agora! É o lembrete que você precisa quando sente que o hábito de deixar para depois está se insinuando em você. Estabeleça algumas metas em sua vida, escreva num papel, e afixe num local visível e leia-as todos os dias. Estabeleça também um tempo limite para que você possa cumpri-las. Faça sua parte que o


Universo fará o resto. Portanto, a chave do sucesso é fazer coisas diferentes. Mas para fazer coisas diferentes em nossas vidas, temos que olhar a vida com outros olhos.


Nós fomos tão condicionados a ver a vida como um problema. O governo é um problema, dinheiro é um problema, meu casamento é um problema, meu trabalho é um problema, e assim por diante. Então, temos que mudar o foco, mudar a nossa percepção. Olhar com outros olhos, é focar nossa atenção nas oportunidades e nas soluções e não nos problemas e nas crises.


Observe como as pessoas felizes e infelizes encaram a vida. As pessoas infelizes, passam boa parte do tempo pensando no que lhe acontece de negativo, enquanto às pessoas felizes tendem a valorizar o que lhes acontece de positivo ou a extrair o aspecto positivo nos acontecimentos não muito agradáveis.


Tem gente que faz as coisas sempre da mesma forma e espera que os resultados sejam diferentes.


Portanto, para que sua vida mude, é preciso ver com outros olhos a sua realidade, você tem que questionar suas crenças auto limitadoras e tentar fazer coisas diferentes, ou seja, deixar as experiências velhas de lado para adquirir novas experiências.



159 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo