Você sofre de estresse pós-traumático?

Você sofre de estresse pós-traumático?


O transtorno de estresse pós-traumático é uma perturbação psíquica, um transtorno de ansiedade, ocasionado por uma experiência traumática inesperada e ameaçadora, como por exemplo: sequestro, prisão, assalto, estupro, acidente, agressão física ou moral, um resultado de exame de laboratório em que constata uma doença grave, um pós-operatório complicado, desemprego, perda financeira ou afetiva, incêndio, inundação, guerra.


Quando uma pessoa sofre desse transtorno psicológico, reviver o acontecimento traumático é muito mais forte do que uma simples recordação. Ela sente como se estivesse revivendo novamente o trauma com todo o sofrimento que ele lhe causou, originalmente.


Certa ocasião, na sessão de regressão, um paciente, ao me relatar o espancamento que sofrera de seu pai em sua infância, repentinamente se contorceu em posição fetal e, aos gritos, chorando, pedia ao pai para parar de espancá-lo.


Outra paciente, veio ao meu consultório, após ter sido sequestrada e trancada três meses num cativeiro. Foi abusada sexualmente pelos sequestradores, todos estavam drogados.


A polícia estourou o cativeiro - após uma denúncia anônima - prendendo o bando de sequestradores. Como consequência do incidente, a paciente tinha pesadelos constantes, acordando a vizinhança, aos prantos.


Conheci um senhor idoso, sobrevivente do holocausto nazista da segunda guerra mundial, que se curvava assustado, cobrindo a cabeça com as mãos, sempre que ouvia o barulho de fogos de artifício. Os sintomas mais comuns do estresse pós-traumático, são: - Pesadelos e terrores noturnos, relacionados com o evento traumático;


- Flashes (a pessoa tem a sensação de estar vendo ou revivendo a mesma situação, como uma cena de filme);


- Depressão crônica: com o decorrer do tempo, se a vítima não procurar a ajuda de um profissional, pode desenvolver uma depressão crônica acompanhada de apatia, irritabilidade, desinteresse, perda de memória e culpa);


- Desesperança com relação aos planos de vida;


- Insônia, dificuldade de concentração;


- Isolamento (a pessoa pode se afastar do convívio social e se isolar);


- Pode também apresentar sintomas similares à Síndrome do Pânico, como: taquicardia, sudorese, falta de ar, tremor, fraqueza nas pernas, ondas de calor, sensação de desmaio, de que vai ter um infarto. Os sintomas não surgem, necessariamente, logo após o trauma, podem levar determinado tempo para se manifestar.


Leia, a seguir, o caso de um paciente, nessa situação, que sofreu um acidente de carro e, meses depois, os sintomas do estresse pós-traumático se manifestaram.


Caso Clínico: Estresse Pós-traumático

Homem de 30 anos, solteiro. Veio ao meu consultório, queixando-se de baixa autoestima e pouca autoconfiança, insegurança, ansiedade, falta de alegria em viver. Acordava constantemente de madrugada, pois não tinha um sono reparador.


O paciente me disse, que após ter sofrido um grave acidente de carro na Itália (ele era natural de Roma), foi levado ao hospital inconsciente, com várias fraturas no corpo. Meses depois do acidente, os sintomas do estresse pós-traumáticos, acima mencionados, se manifestaram.